Presença Constante

dez 17 2015 Published by under Poemas

Sonhos

Presença Constante

***

Quando te vejo

Por todo o corpo o arrepio

Quando te toco

Relâmpagos reluzem na mente

Quanto te tenho

Aromas pueris emanam de mim

Quando estou longe

Dores fazem-me contrair

Quando me faço em descanso

Os sonhos são logo furtados

Quando tu vais

Trovões ecoam no peito

Quando penso que chegaste

Já te observo partir

Quando não te tinha

Era liberto passarinho

Quando me fizeste apaixonado

Cativo em jaula fiquei

Quando amanhece o dia

Na janela dos olhos apenas ti

Quando não apareces

Perdido estou fora de mim

Quando não mais estiver

Já não mais saberei mais o que fazer.

Comments are off for this post