História de Seu Zeca de Lita

Em certo tempo, não nos sabemos o ano, também não nos importa isso agora, apenas nos basta ter ciência do local e das pessoas que fizeram parte daquele singelo momento. A cidade era a encantadora Água Quente, hoje Érico Cardoso, o evento uma partida de futebol, o campo se foi juntamente com o personagem principal, o local se encontrava nas intermediações onde na atualidade temos o hospital.

Há dias que os jogadores da equipe da Sede se preparavam e aguardavam ansiosamente pela oportunidade para um duelo com os jogadores da equipe da Barra. Foi tudo arquitetado, a disputa seria naquela tarde de domingo, o sol ardia na testa, ninguém tomava atenção, o astro rei só precisava fazer seu trabalho, brilhar.

O horário do jogo se aproximava.

Cadê o time da Barra? – perguntava alguém.

Eles não são de deixar esperar – falava outro.

O ponteiro do relógio corria loucamente no seu cansativo tic tac.

Cadê o time da Barra? – indaga o capitão.

A equipe da Sede já estava uniformizada. Alguns dos jogadores batiam bola na trave de baixo, outros esperavam sob a sombra de um arbusto qualquer a jogar conversa fora.

De repente, vinha vindo do leste um homem montado em um jumento.

- É Seu Zeca de Lita montado em seu jumento – grito um moleque.

- Jogadores, acheguem-se. Venham. Tenho algo a dizer. – Seu Zeca continuava montado em seu jegue.

- Fala Seu Zeca – conversa o goleiro. – Quais as novidades? Fazendo muito cordel?

- Vamos cavalgando de acordo Deus nos dá as forças.

- O que tem a nos dizer?

Seu Zeca de Lita então faz uso da sua arte de recitar versos:

A notícia do jogador

Eu que sou embaixador

Os meninos da Barra mandaram dizer

Que não vieram porque o caminhão quebrou.

Seu Zeca de Lita o homem do Cordel.

Esta pequena história foi baseada em fatos reais, ela nos foi contada por Dormário Viana Cardoso. Seu Zeca de Lita fez um livro de Cordel naqueles tempos de ouro. A pergunta é a seguinte: “Será que existe um exemplar desse livro por aí?” Se alguém teve a brilhante ideia e a vontade de preservá-lo ficaríamos muito felizes se pudéssemos fazer uma cópia e expor o material no nosso Site. Você que se lembra de ter guardado um, por favor, procure-o, a nossa História será eternamente grata ao senhor ou a senhora.

Aperte aqui e veja alguns versos de Seu Zeca de Lita.

Tags:

2 responses so far

  • judilce disse:

    S eu Zeca de Lica escreveu este Cordel
    O amor deles era tão intenso que comiam no mesmo prato.
    Ele questionava o horário transmitido pelo rádio, por exemplo se o rádio dizia que eram 10 horas ele achava que era mais porque até ouvir o rádio já tinha passado algumas hora.
    Coincidência ou amor, Lita faleceu em um dia e Seu Zeca no dia sequinte.

  • Jorge Martins disse:

    Eu me lembro quando criança, Seu Zeca vindo de sua chácara, trazia em suas costas, um pau de lenha, para Sá Lita cozinhar!