Capotamento em alta velocidade

cão-correndo

Todos os seres tem uma história, uns possuem verdadeiras sagas, outros ficam marcados por um singelo acontecimento. Já faz algum tempo, estávamos a passar pela estrada de terra que leva a comunidade de Canabravinha, íamos de carro. Na nossa viagem de ida o sol estava quente, era pouco mais das 13h00. Ao passar defronte a certa residência um cão levantou do seu sono, correu a porta e latiu três vezes. Olhei pelo retrovisor e vi o rei retornar para a sombra todo cheio de si, sacudindo o rabo e balançando o traseiro. Até cão sabe ser metido.

A rotina do cachorro foi sempre esta, correr atrás dos automóveis que passavam pela estrada. Ele era o dono do pedaço, naquela área ele mandava, as cachorras eram todas do harém dele. O bicho virou corredor, havia dias que ele dava suas arrancadas umas vinte vezes, sempre retornava com estilo.

Na nossa volta, o sol já sumia no horizonte, ao apontarmos na curva o cão correu e se preparou rente ao portão, começou a latir. Nosso carro passou e o danado se lançou atrás, corria muito, estávamos a uns cinquenta quilômetros e ele acelerava lado a lado conosco. O carro ia rente ao final da margem da estrada, ao chegar a dado ponto tinha um pequeno obstáculo, o cão não pressentiu o perigo, não pôde evitar o capotamento. Tropeçou em uma pequena ondulação rodopiando várias vezes sobre o próprio pescoço.  Observávamos pelo retrovisor, diminuímos o ritmo, pudemos ver o coitado retornar cabisbaixo e triste para sua residência. Já nós nos fartamos de tanto sorrir. Quem mandou ser metido a Zé Gostosão.

O bom foi que nenhuma das fêmeas viu a triste cena, se vissem poderia abalar a reputação do mesmo. Será que após este trágico acontecimento ele ainda continuou a correr atrás de carros e motos?

Comments are off for this post