Tragédia em Macaúbas nos faz ter saudade de Lampião

Comprei um livro ontem, hoje durante a tarde comecei a folheá-lo. Sou do Sertão, por isso gosto das suas histórias. O título do livro: “Lampião, o Rei dos Cangaceiros”. Rapaz, o livro é muito bom, a história do homem é de arrepiar. Li ao todo quinze páginas, e tive que sair. Antes de ir para cama voltei a ler mais umas dez páginas. O relógio já encostava seu ponteiro menor no número onze, antes escovei os dentes, fiz um Pai Nosso e apaguei-me. “Deus, proteja-me durante o dono”.

No decorrer do meu repouso comecei a sonhar. Sonhava com ele, com Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião. Ele e o seu bando invadiam minha cidade para saltear, fazer motim, roubar. Eu assistia a tudo pela fresta da janela. Ouviam-se muitos tiros, gritos, pavor e explosões. De repente Corisco desceu de seu cavalo negro e veio na direção da minha janela dizendo: “Eu sei que você está aí. Vou arrancar seus olhos”. Continuou no seu propósito, passo a passo.  Deixei a janela e me encolhi feito um vira-lata no canto da parede. A janela foi aberta em um pontapé. Um estrondo. “Bãooooooooo”. Assustei com o meu coração a sair pela boca acelerado em demasia. Estava no chão, sem juízo usava o instinto correndo loucamente sem rumo ou mesmo direção.

Por um momento eu imaginava está metido em um pesadelo, mas não, a coisa era real. Há muitos tiros do lado de fora, explosões, cortaram a luz, celular não pega. Gritei com toda a força que os meus pulmões possuem: “Lampião voltou! Lampião ataca Macaúbas”. Os tiros continuaram por cerca de quarenta e cinco minutos. Soquei-me debaixo da cama e pus o travesseiro sobre a cabeça na tentativa de ofuscar o barulho. Como quarenta e cinco minutos demoraram de passar, uma eternidade.

O silêncio voltou a ser dono da noite, logo o povão correu as ruas e o barulho recomeçou. A energia foi restituída e minhas retinas puderam ver que não se tratava de Lampião, em minha frente estava a Agência do Banco do Brasil toda detonada. Um colega aproximou e o indaguei:

- Isso tudo foi fruto do Virgulino?

- Que Virgulino? Você está doido! Mais de vinte bandidos colocaram o banco abaixo. Quem é este Virgulino mesmo?

- Lampião.

- Lampião? O Rei do Cangaço?

-Sim, ele mesmo.

- Após ver esta tragédia em nossa querida cidade, eu não tenho mais duvidas: sinto-me saudade de Lampião.

História baseada em um fato real acontecido na cidade de Macaúbas na madrugada do dia 12 de março de 2014.

Comments are off for this post