Archive for the 'Motivacional' category

Mais um na multidão

nov 13 2015 Published by under Motivacional

Poderemos imaginar a importância de uma simples abelha operaria para a colmeia em que habita? Imaginar, sim, ter certeza do que promulgamos, talvez não. Um simples inseto predeterminado a cumprir ordens expressas pelo instinto que o governa e que o domina. É possível tirar do homem tal serviço se não o oferecer moeda de troca? O dinheiro, a conquista de um amor, ou mesmo as dores de fortes chibatadas… A razão faz do ser humano um bicho diferenciado na cadeia alimentar natural. Se na sociedade das abelhas a operaria não galga posições piramidais de poder, na conjuntura social dos primatas pensantes este fato não se coloca, sendo que os mecanismos de força e inteligência marcam a posição de cada peça no tabuleiro. Todos podem sonhar em ser reis, mas o trono só comporta um por período. Não há indivíduo que nasça soberano, sempre houve e sempre haverá disputas pela coroa de ouro e diamantes.

Um peão para no turbilhão de um grande centro, observa a abundância passar por suas retinas, pessoas que nunca vira na vida, que talvez nunca as verá novamente. Quantos rostos, quantas fisionomias, quanta gente. Aquilo continua pelas horas do dia todo, não existe repetição. Passam mulheres, idosos, crianças, homens, adolescentes, passa até funeral. O ser observa e pensa: “Quanto uma pessoa dessas vale para a sociedade? Ou melhor, qual é o meu real valor perante este mundo que inventamos?”. Encostado em um poste, um rapaz em mulambos conversa com outros dois amigos em igual situação. Na altura dos olhos, um homem bem vestido passa seguido por dois seguranças. Se há igualdade, por onde tem andado ela? Na colmeia, ou é operaria, ou é zangão, ou é rainha. Na sociedade em que vivemos estas castas se dividem em milhões. Cada um com seu peso e sua medida.

Ser mais um na multidão é algo que nos coloca a par da demência. Não se perca pensando na morte nem na loucura de se encontrar neste espaço sideral. O correto é esquecer-se de tais dilemas e viver da forma que nos foi apresentado o mundo até que chegue o dia da emboscada fatal. Mas quem disse que nos satisfazemos com o estado atual das coisas? Queremos mudanças, queremos impor nossa tatuagem ao espaço em que abraçamos. Todos sonham ser reis, é fato.

Corremos a vida toda em busca de um grão de arroz. Este mecanismo move nossa vontade e nos faz ativo. Para se chegar ao ponto x, o trabalhador se sujeita a percorrer os caminhos de y. A natureza se gaba ao ver que mesmo revestido de razão o homem se comporta como se fosse uma abelha operaria. A vida de uma peça é tão insignificante para o todo que a todo o momento são substituídas. Não subestime o seu valor, pois diminuindo as variáveis necessárias, seu peso vale zero. Busque em sua memória um parente, uma autoridade, um astro que já morreu. Após a partida, o mundo parou de girar? As peças imediatamente foram trocadas, ou esquecidas a um segundo plano.

Se estamos perdidos na multidão dos seres, estaremos perdidos na imensidão do cosmo para sempre. Somos nada e ao mesmo tempo infinitos, pois somos únicos. O mundo em geral não importa, serve como trampolim para se galgar um muro, o mundo que nos importa é o nosso próprio mundo, a nossa consciência. Tudo que for feito pelo mundo concreto ficará para tal lugar, o que for feito por nós para nós mesmos se manterá eterno em nossa energia vital para sempre.

Comments are off for this post

A vida só tem sentido enrolada por uma missão

nov 01 2015 Published by under Motivacional

Qual é a sua missão? Você não tem uma? Você não sabe qual é a sua? Mas haverá vida que se sustente digna e austera na falta de uma primorosa missão? Algumas indagações que nos mostram em que chão nos colocamos em pé. Sonhar é o primeiro passo para um mergulho nesse mar invisível. Vive-se melhor aquele que idealiza um futuro diferente, ou o manso que deixa a vida passar conforme a música que alguém colocou para tocar? Ser dono da nossa rédea, ou ser puxado por outros feito a burro no cabresto e no freio? Uma vida sem missão é uma árvore estéril.

Conformar-se com as conquistas empenhadas, curtir as flores que em um dia lindo foram colhidas, acordar radiante com suas glórias passadas, deixar de se aventurar por achar satisfeito e farto. Não ter um propósito novo após o velho vencido faz da existência algo enfadonha e pesada. O homem que descansa satisfeito é um porco que engorda para o abate. Esperar pela morte faz do vivo um defunto antecipado.

Imagine em sua mente um filete a romper a dura rocha em uma montanha a mais de dois mil metros de altitude. Aquele pequeno ser lacrimejando sonha em uma honrosa e desafiadora missão: romper o infinito, desbravar lugares virgens, gastar toda a sua força, todos os seus dias, para quem sabe em um singelo entardecer abraçar o ser supremo que é o mar. Já pensou na frustração deste filete se lhe fosse apresentada uma imagem da exuberância do Velho Chico? Para muitos é frustrante vislumbrar as conquistas dos outros, mas para o filete seria mais um incentivo em pôr mais determinação e garra na conjuntura de se igualar, ou vencer, ao gigante São Francisco. Se o filete vai conseguir alcançar seu primordial objetivo, não se sabe, pois o futuro é uma carta que dependerá de muitas variáveis para se mostrar favorável. Uma coisa é certa, para o sonho se tornar vivo, a mente que o produziu precisará buscar mecanismos para trazê-lo à existência.

O descanso na zona de conforto faz do ser atuante em um mero espectador. Há mais brilho o artista que produz um filme do que os milhões de indivíduos que assistem ao resultado final de obra. Não são aqueles que detêm poder e riqueza somente que podem idealizar missões. Um objetivo gigante demais sai da esfera da razão para entrar na de uma fantasia, mas quantas fantasias não viraram realidade. Só saberemos o quanto poderemos avançar se lançarmos neste mato para tirar de dentro aquilo que procuramos. Haverá dia que um único passo será doloroso, difícil e sofrido; haverá dia que o recolhimento e o repouso será o melhor remédio; haverá ocasião que precisará analisar os passos pretéritos para talvez mudar a rota; haverá sempre algo a ser melhorado, sendo que a linha da vida não se faz de uma reta e sim de uma corda toda embaralhada que carece de um mágico para desfazer a bagunça.

Assim que o bebê abre os olhos para o mundo, Deus joga em seus braços uma missão anormal. Sorrindo ele a agarra. Pouco instante depois, a barriga cobra algo, sem outra opção deixa sair da garganta seu primeiro choro; a mãe corre e dá o leite, ele se acalma. Naquele momento, a criancinha venceu sua primeira missão, a de aprender a gritar pela comida, toda vez que estiver com fome ou com dor, o grito será a salvação. Logo aprenderá a falar mamã. Vendo a alegria nos rostos dos seus espectadores passará a falar mamã a todo instante. O pai com ciúme a ensinará a falar papá. A criança se animará com a missão, começará a produzir o som para alegria do pai. A mãe para pirraçar o esposo passará a ensiná-la a pronunciar: mamã, papá não. A criança sorridente falará para alegria dos pais. Neste ambiente de pequenas missões vencidas diariamente crescerá na mente do pequeno ser a necessidade de uma evolução contínua para o sucesso na vida, que será a busca por momentos de felicidades. Ser orgulhoso não é algo bom, todavia ter orgulho das suas conquistas é louvável.

Dando vida ao título deste texto: “A vida só tem sentido enrolada por uma missão”. Por que enrolada por uma missão? Para ter sentido, a vida precisa do recheio sabor missão. Na falta desta aromática fragrância o bolo fica insosso, inconsistente, sem tonalidade. O enrolada por uma missão tem duplo sentido, pois a missão terá que possuir um poder de passar a perna na vida, enrolar literalmente a vida se colocando como bem maior até do que a própria vida. Quando a pessoa sabe o que quer, quando ela deseja buscar e superar uma missão, o foco será somente um, mesmo se precisar ser gasto toda a vida, esta pessoa se jogará de corpo e alma, a vida estará, literalmente, enrolada pela missão.

Comments are off for this post

Aprender para enfrentar as crises

out 28 2015 Published by under Motivacional

A história humana é marcada por ciclos. A caminhada no tempo nos retrata a evolução da mente frente aos desafios de cada momento. Aprender sempre foi e sempre será um mecanismo essencial para que o homem se coloque em um patamar que torne a vida em sociedade prazerosa e confortável. Ignorar o atributo da busca constante pelo conhecimento, de aperfeiçoar as habilidades já desenvolvidas, de inovar e buscar a descoberta de novos produtos, fará do ser pensante um mero animal que come, dorme e procria.

Findado um ciclo, de imediato se inicia outro. Antes de conhecermos os mecanismos para colocar um objeto qualquer para boiar no ar sem ir de encontro ao chão, a busca pela conhecimento ignorado foi frenética para aqueles que viveram em tal ponto da trajetória. Vencido o desafio por algumas mentes brilhantes, outros já sugiram frutos daquelas descobertas. A crise daquele momento foi vencida pelo estudo e pela busca incessante do conhecimento até então obscuro.

A descoberta do avião abriu portas jamais exploradas. O tempo seguiu, estamos em 2015, haveria necessidade de um grupo de cientistas redescobrir a roda? A inovação abomina a repetição. O difícil e complicado é chegar ao resultado na sua primeira oportunidade. Feito isso, basta reproduzir em série os passos descobertos. O que fez de Santo Dumont famoso, nos atuais dias já não traz fama mais a ninguém.

Se a vida humana no globo necessita sempre desta força propulsora, um país também carecerá, uma cidade, uma família e a menor parte que é cada indivíduo. Neste mundo de constante mudanças, onde a Internet imprimiu uma nova maneira de viver, aquele que senta e espera por chuva, certamente, morrerá de fome e sozinho. A população cresceu assustadoramente, cada ser representa quase nada diante do todo, contudo há seres que são venerados como minideuses. Qual a diferença concreta entre um homem bem-sucedido e outros milhões que circulam diariamente pelas muitas cidades? Aproveitar a oportunidade e remar contra a correnteza, fugir do fluxo que leva a multidão de um lado ao outro ao sabor dos gostos de certas ideologias.

Quando a crise bate na porta de um país, tudo o que foi construído até aquele momento precisará ser reciclado, muitos conceitos eliminados e outros inseridos. A velhice chega a cada corpo cobrando a renovação obrigatória que é natural da natureza. Se a sua vida financeira está sendo corroída pela crise do momento, se sua família está desmoronando, se suas aptidões já não servem mais, de duas uma, ou você espera pelo final do poço, ou você arregaça as mangas e busque novas alternativas para vencer seus tormentos. Depois da tempestade, sempre paira a bonança, provérbio de forte impacto. Se cuide, o mundo nunca foi dos fracos, não é mais dos fortes, já está sendo exclusivamente do conhecimento.

Comments are off for this post