Archive for: junho, 2016

Brasil nunca esteve em crise para os donos das leis

jun 29 2016 Published by under Zé do Bode

Nota de Cem

Disseram-me que o Brasil estava em crise, que a economia ia mal, que o desemprego aumentava, que os políticos eram bandidos. Pura balela. O nosso País é rico, tão rico que neste momento os deputados e senadores aumentaram o salário de algumas categorias de privilegiados deste sistema falido em quase cinquenta por cento. Crise? Que crise? Crise nunca e jamais existirá para os donos das leis. Quem criam as leis são os primeiros e os maiores beneficiados. Crise tem na casa do assalariado. Crise tem na casa do desempregado. Crise tem na casa dos milhões de pobres do Brasil. Se houver justiça na vida, que seja imenso o inferno, pois para lá irão manadas de cabras safados. Cada dia que passa meu nojo só aumenta. Moramos em um País lindo e rico, contudo se assemelha a uma ilha, só que em vez de água temos usurpadores do bem público e do suor alheio. É triste ver nossa Pátria afundar no lamaçal criado por uma classe que só pensa em si. Sobrou a nós pobres apenas a esperança, esperamos que eles não a roubem também, um povo sem esperança perde a vontade de viver, perde sua identidade, desaparece.

Crônica de Zé do Bode.

Comments are off for this post

A tocha do mal

jun 21 2016 Published by under Zé do Bode

Brasil

O Brasil é a terra mãe da palhaçada, isso todos nós já sabemos de longas datas, mas com a gastança da “Tocha Olímpica” em meio à desemprego e padecimentos, passamos a ser também a terra mãe dos trouxas. Rodar o Brasil todo de avião, com seguranças, com mordomias aos dirigentes e condutores, a tocha que era para ser o símbolo das Olimpíadas a cada dia que passa vem se transformando em motivo de chacota. Na última segunda-feira, dia 20 de junho de 2016, uma pobre onça foi sacrificada, momentos antes havia participado de um evento envolvendo a tocha. A onça que era chamada por Juma foi abatida, contam-se versões para boi dormir, acreditem-se nelas quem quiser. Enquanto o Estado do Rio de Janeiro entra em estado de calamidade pública, enquanto tal Estado sequer consegue honrar com os seus compromissos, o povo por obrigação é forçado a sorrir um falso sorriso e ter esperança que os Jogos Olímpicos do Rio trarão a eles o paraíso. Com tudo que vimos e vivemos nos últimos anos no Brasil, o final de tudo isso já podemos prever. Se a Olimpíada depender de minha audiência… deixe pra lá.

Crônica de Zé do Bode.

Fonte da Foto: Internet.

Comments are off for this post