Archive for: maio 14th, 2014

Falando do Amor

mai 14 2014 Published by under Poesia

amor

Nasce o amor como brota uma flor

Não importa o terreno

Se há chuva

Ou uma boa mão para cuidar

O Amor é reticências

Uma interrogação gostosa sem explicação

Muitos na pura alegria cantam-no em exclamações

Para descrevê-lo quantos travessões são necessários?

Amor, dois pontos

Saudade, carinho, apego, três pontos

“O amor é fogo que arde sem se ver”

Aspas, pois já dissera o brilhante Poeta

Com as palavras até tentamos

Chegamos apenas ao começo do primeiro parágrafo

O trabalho é árduo

O papel branco se torna um obstáculo

O amor escorrega feito sonhos perdido no acaso

Brilha aos olhos com grandiosidade de um astro exuberante

O amor é uma daquelas palavras que mesmo usando um dicionário não conseguimos entender

O antônimo dela simplesmente não germinou

Para o amor apenas temos as estrofes rimadas

As poesias declamadas

E os belos contos de fadas

Para o sujeito o cosmo

O infinito sideral

Pois neste texto não cabe nunca

Intensifica o advérbio

O maldito ponto final.

One response so far